Canarinho Prisioneiro – Chico Rey e Paraná

(intro) G C G C D G C G C D C G

 

 G                                         D
Sou aquele canarinho que cantou em seu terreiro
                                           C     G
em frente sua janela eu cantava o dia inteiro
                                         D
Depois fui pra uma gaiola e me fizeram prisioneiro
          C       G          D                G
me levaram pra cidade, me trocaram por dinheiro

 

G                                  D
No porão daquele prédio era onde eu morava
                                                    C   G
me insultavam pra cantar mas de tristeza eu não cantava
                                      D
Naquele viver de preso muitas vezes imaginava
                   C       G          D               G
se eu "arroubasse" essa gaiola, pro meu sertão eu voltava

 

G                            D
Um dia de tardezinha veio a filha do patrão
                                          C   G
me viu naquela tristeza e comoveu seu coração
                              D
Abriu a porta da grade me tirando da prisão
          C       G          D               G
vá-se embora canarinho, vá cantar no seu sertão

 

G                                          D
Hoje estou aqui de volta desde as altas madrugadas
                                           C   G
anunciando o entardecer e o romper da alvorada
                                        D
Sobrevoando a floresta e alegrando a minha amada
              C       G               D          G
bem feliz por ter voltado, pra minha velha morada.

 


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *