cifra simplificada

Blusa Vermelha – Chico Rey e Paraná

Blusa Vermelha - Chico Rey e Paraná

E           B 
Quando olho na parede 
        E 
Vejo seu retrato 
 
As lágrimas banham meu rosto 
            B 
Num pranto sem fim 
 
Sento na cama e fico 
 
Sozinho no quarto 
              A 
Vem a saudade maldita 
     B     E 
E se apossa de mim 
                 B 
Levanto vou no guarda-roupa 
         E 
E abro as portas 
             E 
Vejo a blusa vermelha 
          A 
Que você deixou 
 
Aí, então o desespero 
          E 
Rouba minha calma 
     
Eu saio pra rua 
         B 
E até minha alma 
        A 
Chora em silêncio 
    B        E 
Ao sentir minha dor 

Deus ó Senhor Poderoso 
             E 
Eu lhe faço um pedido 

Mande um alívio a esse 
          E            
Coração que sofre 
   A 
Se ela um dia regressar 
          E 
Eu lhe agradeço 
 
Porém padecer 
         B 
Como eu padeço 
         A 
Prefiro mil vezes 
       B    E 
Que me mande a morte

 


 

Amor Rebelde – Chico Rey e Paraná

Amor Rebelde - Chico Rey e Paraná

(intro)  C F C Am F F G C G

 

C
Eu sei que o meu pranto
                G
É o seu maior prazer
                             F
Sua alegria é me fazer sofrer
                       C          G
Por seu amor, por te querer

 C
Olha, você precisa só mudar
         G
Mais um pouquinho

Deixar de lado
                       F
Esse seu jeito mesquinho
                                     C          G
Caso contrário eu terei que te esquecer

       C                                 G
Às vezes querendo a gente deixa de querer
      Am                             Em
Às vezes amando a gente deixa de amar
       F
Às vezes quando encontra
          C
Um amor rebelde assim
                 G         G7
De tanto amor a gente acaba por odiar

 


 

Boate Azul – Chico Rey e Paraná

Boate Azul - Chico Rey e Paraná

(intro) Dm E Am

                  

   Am                                      G
Doente de amor procurei remédio na vida noturna com a
          F                              E       A
flor da noite em uma boate aqui na zona sul,   a dor do
Dm                                 Am
amor e com outro amor que a gente cura, vim curar a
 E                             Am     A
dor nesse mal de amor na boate azul   e quando a
 Dm
noite
                                 Am
vai se agonizando no clarão da aurora os
       E
integrantes da
                         Am     A              Dm
vida noturna se foram dormir    e a dama da noite que estava
                    Am                      F
comigo também foi embora , fecharam se as portas
            E            A                   E
sozinho de novo tive que sair, sair de que jeito, se nem
       D              A
sei o rumo para onde vou muito vagamente me lembro
      E           D                 A
que estou em uma boate aqui na zona sul eu bebi
   E
demais
          D                  A
e não consigo me lembrar se quer qual é o nome
          E             D         E       A
daquela mulher a flor da noite na boate azul.

 


 

Alma Transparente – Chico Rey e Paraná

Alma Transparente - Chico Rey e Paraná

Intro: G, C, G, Dm, G, C, G

 

    C
Te dei meu mundo, minha vida, o meu carinho
         G
Te dei amor e paz
   Dm             G
Te dei afeto, atenção, te dei cuidados
          C   
Tão especiais
            F
Te dei meus olhos, minhas mãos, te dei meu corpo
    C
Te dei meu coração
         G
Porém fiquei a ver navios neste mar
               C    
De angústia e solidão
           F
É sempre assim
A gente chega de alma transparente
              Dm  G
Joga aberto e limpo
            C
Como eu joguei
                             G
Mas a pessoa traz cartas na manga
                Dm  G
Blefa e ganha o jogo
            C    
Que não mereceu
          F
Eu vou mudar
                               Dm  G
Vou revelar meu pensamento aos outros
             C
Vou viver assim
                         G
Vou assumir uma outra postura
            Dm  G
Vou viver melhor
            C
Vou pensar mais em mim
[G, C, G, Dm, G, C ]             F
É sempre assim ……..

 


 

Liguei pra te dizer que eu te amo – Chico Rey e Paraná

Liguei pra te dizer que eu te amo - Chico Rey e Paraná

     G                                 D
Já é tarde, é quase madrugada e eu não dormi
                          Em
com você no pensamento a insistir
                           D
que eu não durma sem falar contigo
    C                           G
Só liguei, liguei pra te dizer que eu te amo
                                    D
que os momentos que felizes nós passamos
        C               D         G     D
se morrer irá morrer junto comigo
                G                              D
Refrão=>E ao dormir sozinha estiver aos seus lençóis
                                  C
        abrace o travesseiro e pense em nós
                                G      D
        na impressão irá sentir o meu calor
        G                       D
        Vai, agora já te ouvi posso sonhar
                                  C
        sentir as tuas mãos a me afagar
                D 7          G
        vivendo a paz desse amor
(Intro)
         G                               D
Como pode dois seres como nós viver assim
                          Em
eu louco por você e você por mim
                          D
e agora tão distante sem amor
    C                           G
Vá dormir e sonhe com nós dois no paraíso
                               D
de mãos dadas caminhando no infinito
       C                D         G    D 
e pra sempre desfrutando desse amor

 


 

Você Não Sabe Amar – Chico Rey e Paraná

Você Não Sabe Amar - Chico Rey e Paraná

 

E            A                    E 
Siga o teu caminho você tem aonde ir 
   A                       E 
Você tem outra cama onde dormir 
E                             B 
Não precisa ser atriz dessa maneira 

A                                   E 
Rasgo esse meu peito e jogo fora o coração 
          C#m                      B 
Não vou ficar tentando achar explicação 
              A      B             E         B 
Pra quem tem outro e cometeu tanta besteira 
Refrão ————-E 
Você não sabe amar 
                           B 
É uma flor que não tem perfume 
                      A 
Se não fosse o seu costume 
                        E      B 
De brincar com meu coração 
         E                         B 
Eu te daria um lugar no meu peito pra morar 
B                        A 
Pra ser a dona e pra dominar 
      B                E 
Esse cara cheio de paixão 
——————–  
Repete: Siga o teu caminho… 

 


 

Canarinho Prisioneiro – Chico Rey e Paraná

Canarinho Prisioneiro - Chico Rey e Paraná

(intro) G C G C D G C G C D C G

 

 G                                         D
Sou aquele canarinho que cantou em seu terreiro
                                           C     G
em frente sua janela eu cantava o dia inteiro
                                         D
Depois fui pra uma gaiola e me fizeram prisioneiro
          C       G          D                G
me levaram pra cidade, me trocaram por dinheiro

 

G                                  D
No porão daquele prédio era onde eu morava
                                                    C   G
me insultavam pra cantar mas de tristeza eu não cantava
                                      D
Naquele viver de preso muitas vezes imaginava
                   C       G          D               G
se eu "arroubasse" essa gaiola, pro meu sertão eu voltava

 

G                            D
Um dia de tardezinha veio a filha do patrão
                                          C   G
me viu naquela tristeza e comoveu seu coração
                              D
Abriu a porta da grade me tirando da prisão
          C       G          D               G
vá-se embora canarinho, vá cantar no seu sertão

 

G                                          D
Hoje estou aqui de volta desde as altas madrugadas
                                           C   G
anunciando o entardecer e o romper da alvorada
                                        D
Sobrevoando a floresta e alegrando a minha amada
              C       G               D          G
bem feliz por ter voltado, pra minha velha morada.